‘Digam a toda a comunidade de Israel que no décimo dia deste mês todo homem deverá separar um cordeiro ou um cabrito, para a sua família, um para cada casa. Se uma família for pequena demais para um animal inteiro, deve dividi-lo com seu vizinho mais próximo, conforme o número de pessoas e conforme o que cada um puder comer. Passem, então, um pouco do sangue nas laterais e nas vigas superiores das portas das casas nas quais vocês comerão o animal. Ao comerem, estejam prontos para sair: cinto no lugar, sandálias nos pés e cajado na mão. Comam apressadamente. Esta é a Páscoa do Senhor. Naquela mesma noite passarei pelo Egito e matarei todos os primogênitos, tanto dos homens como dos animais, e executarei juízo sobre todos os deuses do Egito. Eu sou o Senhor! O sangue será um sinal para indicar as casas em que vocês estiverem; quando eu vir o sangue, passarei adiante. A praga de destruição não os atingirá quando eu ferir o Egito.(Êxodo 12:3-4,7,11-13 NVI) 

Olá amado no Senhor, a Páscoa já está aí, mas nós mal nos damos conta disso. Esta grande celebração cristã, que vem com orações que duram a noite toda, retiros nos cultos da igreja e outras atividades espirituais na Igreja, está agora caindo no período de confinamento geral.

Isso pode ser visto como um golpe, um ataque ao cristianismo. Mas também podemos ver que, ao invés disso, é uma oportunidade de celebrá-la em sua autenticidade por pelo menos três razões: 

1. A primeira Páscoa não era celebrada na assembléia, mas em todas as casas. No máximo duas casas podiam se associar, não mais. O próprio Jesus Cristo celebrou a Páscoa em uma casa com sua família: os discípulos, havia 13 deles (Lucas 22:7-12). Os discípulos da primeira Igreja também celebravam a Páscoa em suas casas (Atos 2:46). 

2. A primeira Páscoa foi comemorada em um contexto em que um destruidor iria visitar durante a noite para matar. Da mesma forma hoje, o COVID-19 assusta o mundo inteiro e se espalha como um incêndio. O próprio Jesus Cristo teve a ceia de Páscoa em um contexto de confinamento, porque foi forçado a se esconder dos líderes religiosos da época, que queriam matá-lo. Os primeiros discípulos de Atos tinham a ceia de Páscoa às vezes em um contexto de perseguição.

3. A primeira Páscoa foi o culminar de um processo de libertação do povo de Israel da escravidão no Egito. A segunda Páscoa é a celebração da morte e ressurreição de Jesus. A cruz e o sangue do Cordeiro nos asseguram de nossa libertação da escravidão do pecado, da doença, do diabo e da morte. Esta é uma oportunidade para colocar nossas vidas de volta em ordem em relação a Sua obra. Viver a realidade dos benefícios da cruz. 

Como celebrar a Páscoa com sua família 

Muitas famílias ficam envergonhadas porque apenas experimentaram essa prática na Igreja. Mas quero compartilhar com você uma maneira simples e prática de celebrar a Páscoa em família. 

1. Prepare o que você precisa

O símbolo do corpo de Cristo: você pode escolher pão ou um bolo que você cortará em pedaços. 

Certifique-se de que tudo seja comido (como no Êxodo), então um pedaço por pessoa. O tamanho da peça não importa. 

O símbolo do sangue de Cristo: escolha o que simbolizará o seu vinho de acordo com suas convicções: por exemplo, suco ou vinho. Despeje em pequenos copos descartáveis ​​para cada um. Em seguida, cubra tudo com uma toalha de chá.

2. Prepare seu coração 

‘Portanto, todo aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor indignamente será culpado de pecar contra o corpo e o sangue do Senhor. Examine-se o homem a si mesmo, e então coma do pão e beba do cálice. Pois quem come e bebe sem discernir o corpo do Senhor, come e bebe para sua própria condenação.’ (1 Coríntios 11:27-29 NVI)

É importante passar por um tempo de confissão de pecados ao Senhor e uns aos outros. 

Que todos tenham tempo para examinar seu coração: o que eu fiz que irritou o coração de Deus? O que eu fiz que machucou um membro da família? 

Cada membro da família também deve pedir perdão pelo que ele ou ela fez de errado contra um dos outros membros. A pessoa em questão o recebe e pede perdão. Os pais não devem hesitar em pedir perdão aos seus filhos em caso de ofensa. 

3. Lembre-se da cruz e seus benefícios 

É um momento de lembrar tudo o que a cruz trouxe aos humanos: salvação, vitória sobre o pecado, vitória sobre a morte, cura da alma e do corpo, libertação de laços satânicos, redenção, santificação. 

Lembre-se de tudo isso e convide cada membro da família a se apropriar através da fé.

4. Lembre-se do início da última ceia 

Em seguida, use os textos de 1 Coríntios 11:22-26 e Lucas 22:17-20. 

  • Lendo sobre o pão, o chefe da família pega um pedaço de pão e o quebra. 
  • Lendo sobre o vinho, ele levanta a taça e a abençoa. 
  • Então ele termina com uma oração que abençoa esse momento juntos. 
  • Dê a bandeja a todos para pegar o pão e comer e, em seguida, adicione a bebida. 

5. Oração Intercessória 

Oramos para que a realidade dos benefícios da cruz possa ser compartilhada, para salvação, cura e proteção divina, cobrindo esta casa com o sangue do Cordeiro. Vamos orar por nossa família, nossa igreja local e nosso país. Tudo isso enquanto são cantados hinos que falam da obra da cruz. 

Feliz Páscoa a todos. 

___________________________________________________________________________

Jean Paul Dansou é Representante Regional do ICMDA para a África Ocidental Francófona
Tradução: Médicos de Cristo

1 Comment

  1. […] En Français, Português […]

Leave a Comment