Esta manhã, li um artigo de notícias intitulado “O que ainda posso fazer?”, descrevendo o que o novo bloqueio em todo o Reino Unido significa para cada um de nós e quando podemos sair de casa. Em muitos países do mundo, medidas semelhantes entraram em vigor nas últimas semanas.

No entanto, embora não tenhamos permissão para fazer muitas das coisas cotidianas que considerávamos como certas, louvemos à Deus, ainda podemos fazer a coisa mais importante e útil de todas – podemos orar! Então, aqui estão algumas idéias de como orar pela equipe de saúde cristã que faz parte da família da igreja e por aqueles que estão distantes.

Como ex-médico do NHS, meu coração está com toda a equipe de saúde, alguns dos quais são meus melhores amigos, que estão enfrentando essa pandemia na linha de frente. No momento, médicos, enfermeiros e profissionais de saúde afins estão enfrentando crescentes demandas e pressões que eles sabem que só piorarão nas próximas semanas.

Muitos estão sendo remanejados para trabalhar em novas especialidades, assumir novos papéis, cobrir diferentes enfermarias ou grupos de pacientes e aprender habilidades complexas e novas em tempo recorde. Alguns estarão trabalhando nos novos hospitais temporários de campanha, como o Hospital Nightingale, no Excel Center, no leste de Londres. Eles vão lidar com altas concentrações de pacientes com COVID-19, aumentando o risco de exposição.

Trabalharão horas absurdas, cuidarão de um número sem precedentes de pacientes gravemente enfermos e sentirão o fardo emocional dos pacientes que estão morrendo e das famílias em luto. Durante esse período, alguns deles observam como colegas, amigos e familiares adoecem também. Enquanto a maioria irá se recuperar rapidamente, alguns deles não irão. Outros terão que se isolar de seus familiares próximos, se tiverem cônjuges, filhos ou pais em uma categoria vulnerável. Isso levará muitos a viver por longos períodos longe da casa da família em acomodações temporárias.

Aqueles que são gestores mais antigos, consultores e enfermeiros mais antigos terão a responsabilidade de tomar decisões difíceis sobre quem receberá todo tratamento adequado e os que não, com base num conhecimento imperfeito. Eles sabem que suas decisões terão consequências de vida e morte para milhares de pessoas.

Esta é uma imagem sombria que pintei, eu sei, mas não quero deixar a mensagem mais leve, pois isso será difícil. Excepcionalmente difícil. Nossos irmãos e irmãs precisam de nossas orações !!

Então, o que podemos orar? bem, aqui vão dez ideias para começar:

1. Oremos pela paz do Senhor, que transcende todo entendimento para preencher seus corações e mentes e oremos para que outros vejam essa paz e sejam direcionados à Jesus. Oremos para que, quando cercados de dor e desespero, sejam preenchidos com a alegria do Senhor e experimentem essa alegria todos os dias ao servirem àqueles que Deus colocou diante deles.

2. Oremos por oportunidades de compartilhar a esperança e o amor de Cristo com seus pacientes e colegas; oremos por ousadia para aproveitar essas oportunidades quando surgirem e sabedoria para saber como usá-las.

3. Oremos para que possam suportar bem o sofrimento, a adversidade e as dificuldades – não cedendo a gemidos ou reclamações, mas suportando sofrimentos e dificuldades com a graça e a alegria do Senhor. Oremos para que eles conheçam a bênção de compartilhar os sofrimentos de Cristo e, assim, sejam suas testemunhas para colegas e pacientes.

4. Oremos por sua segurança e a de suas famílias. Oremos para que eles tenham equipamentos de proteção adequados e que recuperem rapidamente se ficarem doentes.

5. Oremos por sabedoria para tomar boas decisões; pela habilidade na execução de várias tarefas e pela paciência com todos que encontrarem (especialmente quando estiverem exaustos, com fome e as exigências pareçam implacáveis).

6. Oremos para que eles possam ‘desligar’ mentalmente quando voltarem para casa, que tenham o apoio emocional e espiritual que precisam; que eles tenham tempo suficiente para descansar e fazer as coisas que gostam. Oremos para que eles durmam bem e descansadamente.

7. Oremos por aqueles que estão separados de seus entes queridos, que se sintam conectados à comunidade da igreja e às pessoas que os amam. Oremos para que eles tenham alguém em quem possam descarregar sem sentir que precisam censurar o que dizem.

8. Oremos para que eles tenham a sabedoria e a coragem de pedir ajuda – seja pedir ajuda de alguém mais experiente, quando sentirem-se clinicamente distantes, ou ajudar a lidar com o impacto que isso estiver causando neles pessoalmente. Oremos para que a ajuda esteja prontamente disponível e que não fiquem constrangidos por precisar dela.

9. Oremos para que Deus os ajude a não cometer erros graves, especialmente quando estiverem exaustos e trabalhando em áreas desconhecidas, e que quaisquer erros que cometam sejam percebidos à tempo ou facilmente corrigidos. Oremos para que eles conheçam a graça e a paz de Deus se cometerem erros, que não sejam dominados pela culpa e que conheçam o apoio e a compaixão de seus colegas e órgãos de governo.

10. Oremos contra sentimentos de culpa inadequada – culpa pelo fato de que eles deveriam estar fazendo mais, culpa pelo fato de poderem transmitir o vírus aos membros da família ou que já tenham transmitido, culpa pelo fato de terem que alocar recursos para um paciente em detrimento de outro etc. Oremos para que eles saibam que Deus está no controle e que eles aceitem os limites de sua responsabilidade.

Depois de ter orado por eles, informe-os de que está orando por eles – peça pontos de oração mais específicos e pense em como mais você pode serví-los nesse momento. Você poderia deixar uma refeição na porta de casa para esquentar após um turno ocupado? Você poderia telefonar rapidamente ou enviar uma mensagem de texto para verificar como estão? Você poderia oferecer-lhes as compras quando eles talvez não tenham tempo ou não consigam encontrar as compras de que precisam?

‘O que ainda posso fazer?’ Embora algumas liberdades físicas tenham sido removidas por um curto período de tempo, louvemos à Deus por termos a liberdade eterna de abordar corajosamente nosso Pai Celestial que nos ama ternamente e controla todas as coisas!

Por Ashley Stewart, Chefe Associada de Ministérios Estudantis da Christian Medical Fellowship nas Ilhas Britânicas. Adaptado e reeditado com permissão do CMF Blogs.


Tradução: Médicos de Cristo

1 Comment

  1. […] Em Português. […]

Leave a Comment